domingo, 30 de agosto de 2009

Gastronomia em Paraty




Nunca perdemos a Lazanha de palmito pupunha das meninas do restaurante O Café em Paraty, mas dessa vez resolvemos variar e seguimos o conselho do André, proprietário da pousada Vila Volta, onde vila e volta, nos hospedamos, se bem que dessa vez ficamos mais perto do buxixo, na pousada A Joana, destaque para o café da manhã ao ar livre debaixo das árvores e de frente para a cidade, a pousada fica bem em frente a foz do rio Paraty.
Bem, como dizia, fomos comer em um restaurante francês, que chique hein? Chama-se Le Castellet.
Sofri muito, pois logo de cara o chef Ives nos presenteou com uma
degustação de azeites preparados por ele. Minha preferida foi o de "Lavande".
Após o deleite oleoso, partimos para os pratos principais.
Meu prato foi um Crepe de Filet e o Alê pediu um
"cacerole" de frutos do mar. Bebemos um incrível suco gelado de erva cidreira e fomos muito bem a
tendidos pelo Chef que nos contou várias histórias.

No dia seguinte para sofrermos ainda mais, fomos
comer no Thai Brasil. Dividimos um "Pad Thai", que é a coisa mais básica que se pode comer na Thailândia; basicamente um macarrão frito apimentado, com
camarões e temperos bem diferentes, como gengibre, amendoins, e
especiarias. Uma delícia.


O desfecho final veio com as ostras com "origem controlada" que você pode provar quando for para
Ubatuba. É uma barraca logo saindo da cidade rumo ao Rio, quase ao lado do posto BR numa
travessa pertinho da Rio-Santos.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Almoço em agosto, delicioso

Assisti Almoço em agosto, em italiano, "Pranzo di Ferragosto". Ferragosto é uma festa típica no país de meus avós que consiste em juntar uma galera no calorão do verão para um mega-almoço cheio de confraternização e alegria.
É isso que acontece no filme, onde o protagonista cheio de dívidas, termina hospedando em sua casa, um montão de velhinhas a título de troca favores para amigos e é claro, para arrecadar uns tostões extras.
A aparente pentelhação vai dando lugar para deleites de prazer, especialmente com as conversas entre as velhinhas italianas.
O poder do filme é potencializado pelo maravilhoso idioma, a delícia de almoçar juntos se transfere para a tela através da delícia de olhar as velhas com suas mais variadas personalidades batendo papo sem parar.
Está passando no circuito alternativo, vá ver e delicie-se.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Lugares comuns


Vi o filme argentino Lugares Comuns no fim de semana. Fiquei muito impressionado com os textos que aproveitam os diálogos muitas vezes tensos entre os protagonistas para tocar em temas controversos.

"A lucidez é um dom e um castigo; Lúcido vem de Lúcifer, o Arcanjo Rebelde, o Demônio. Mas também a estrela d'alva, a mais brilhante, a última a se apagar. Lucifer quer dizer aquele que faz a luz, a luz que permite a visão interior, o bem e o mal, juntos o prazer e a dor. Lucidez é dor, e o único prazer que se pode conhecer, o único que vagamente se parecerá com a alegria, será o prazer da consciência da própria lucidez."

Federico é um brilhante professor de literatura que acaba de ser demitido e tem de encarar problemas financeiros e a possibilidade de uma grande reviravolta em sua vida.

Em sua última aula, recomenda aos alunos que irão se tornar professores mais tarde: "Ensinem seus alunos a pensar, a duvidar, a questionar!"

Assista, assista novamente, reflita e seja feliz.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Minha sobrinha Fernanda

Aqui está minha sobrinha Fernanda. Ela não é uma gracinha? A Fefê é filha de minha irmã. Ela adora a turminha do cocoricó. É uma menina um pouco tímida, mas logo que ela crescer um pouco mais vai perder um pouquinho da timidez, não é Fefê. Para você um beijo do tio Silvio.
Posted by Picasa

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O desfecho da saga do aparelho auditivo

Esta é a segunda parte da saga que começou aqui.

Parabéns Silvio Carlos! Você é o feliz proprietário de um Unitron Next 16. Um não, DOIS! Um pra cada escutador de bolero, como diz meu velho pai.

O brinquedo comercializado pela Microsom é um festival tecnológico, muito bom para pessoas com vida ativa como eu. Quem fica mais quietinho em casa e no máximo quer escutar a novela ou os cochichos do porteiro do prédio não precisa de tanta tecnologia, mas o rapaz aqui que vai pro trabalho na oficina, vai pra restaurantes, cinema, analista, sala São Paulo, conversa com gente que grita e com gente que fala super baixo, pega lotação, anda de carro, anda na pé, em lugares abertos e fechados.. tem que ser um brinquedo como esse.
Ele tem alguns programas automáticos onde ele percebe o tipo de ambiente em que você está através de amostragem sonora e muda a regulagem do aparelho de acordo. É capaz de reduzir o som do vento, de ruídos fortes, de sons contínuos como o liquidificador ligado, por exemplo. Além disso tem programas manuais para situações específicas como falar no telefone, ouvir música, ambientes extremamente silenciosos ou extremamente barulhentos.

É do tipo adaptação aberta com o transmissor separado do resto, tornando o brinquedo bem menor e discreto. Não há sensação de ouvido entupido, na verdade é colocar na orelha e esquecer que ele está lá. A qualidade do som é ridiculamente pura e é um perigo entrar no chuveiro com ele porque você simplesmente esquece do aparelho.
Estou esperando chegar uma caixinha nova gratife escuro, não gosto dessa corzinha Michael Jackson tentando se esconder.

Uma maravilha dessas tem um custo alto, o gaget não sai por menos de... Claro sai mais barato ir até os EUA, comprar um e trazer pra casa, mas como fica a garantia? e se quebrar? e a eficiente assistência técnica da Microsom do Tatuapé? Pesei tudo isso na balança e preferi pagar mais caro, afinal não quero me meter em roubadas mais tarde.

Agora quando você vir falar comigo vê se não grita!!

Aproveite para acompanhar este post que dá dicas sobre a adaptação.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Voando feliz


Ah, estive também neste fim de semana no Pico do Gavião em Andradas. O tempo estava ótimo e a galera voou bastante. Eu fiz um voo modesto no sábado e acabei pousando antes da hora por culpa do xixi.. rsrs... foram só 50km, mas novos dias virão.
Muito legal foi encontrar a galera! O Mexicano voou 100km, foi pousar em Campinas.

Na foto ao lado, o Fabinho e logo abaixo, eu com meu amigão Decio, o Homem Pedra.



O Alê foi junto, foi me resgatar em Mogi Mirim e de lá fomos até Poços de Caldas jantar na cantina do Araújo.

A salada de carpaccio de polvo


Segui a receita da vídeo aula que tem aqui e deu tudo certo!

Reparem que o polvo ficou parecendo fatias de mármore... é preciso cozinhar o bicho no dia anterior, já que ele precisa dormir apertadinho dentro de um panho de cozinha, como se fosse um pacote bem apertado. No dia seguinte é só fatiar que ele não desmancha.
O caldo que saiu do polvo serviu de base para o risoto de camarão ao vinho que o Alê fez.
Acompanhamos com um Bonarda, grande estilo!! O sabor ficou incrível.

Mas é claro que nada disso teria a mesma graça sem a presença das queridas amigas Inahia (e seu digníssimo esposo Ariel) e Marlene! Que janta, hein?

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Sonho de consumo

Já faz algum tempo que fico babando no trabalho do Aécio Sarti. Ele faz aquelas velhas lonas de caminhão se transformarem em obras como a última que está logo abaixo.
Sempre que vamos para Parati visitamos seu atelier e imaginamos uma obra sua na parede da sala...







terça-feira, 4 de agosto de 2009

Pequeno discurso para um formador de opinião


Brasileiros e brasileiras: Até quando permanecerão em silêncio diante da podridão que presenciam todos os dias na Terra-do-Nunca-Brasília?
Até quando permanecerão em suas casas, em seus empregos, junto de suas famílias sem sair as ruas para se manifestar? O momento pede clamor, pede vida, pede que você cidadão, vá até a rua e se manifeste!
Lembra-se das diretas-já? Aquilo funciona, povo brasileiro! Nós brasileiros fomos capazes de mudar o rumo da história através de um ato de coragem como aquele e podemos faze-lo novamente.
Outros paises do mundo jamais permitiram tamanhas sacanagens sem nada fazer. Veja como se manifesta o povo de nossa irmã-vizinha Argentina: São panelaços, placas, cartazes, piquetes, passeatas e mil manifestações que encontram vida fora do mundo fechado da internet e se materializam nas ruas da praça de maio. Mesmo em paises onde a manifestação pública é recebida com violência por governos totalitários, ela existe e produz resultados importantes. Por que você brasileiro é tão molenga? Por que você brasileiro é tão passivo? Por que você brasileiro acha que não adianta fazer nada e que o problema não é seu?
Até quando você brasileiro, irá suportar ser roubado, enganado, ludibriado, humilhado e esfolado?

O Brasil precisa de você, cidadão. Precisa que você grite, precisa que você esperneie, precisa que você se manifeste nas ruas de sua cidade. O Brasil precisa saber que você existe, que você é um ser humano trabalhador, honesto, defensor de sua família e de seus direitos de cidadão.

O Brasil precisa de um BASTA!
E este BASTA só será ouvido se sua voz o manifestar num alto brado, num brado retumbante: BASTA!