terça-feira, 30 de junho de 2009

Domingo no parque


Está no blog do Alê e no SPGB, saimos para um pedal muito legal no domingo no Parque Tietê.
Os meninos não estavam muito acostumados com a fauna local, mas mesmo assim foram momentos muito intensos como este ao lado.
Coloquei aqui um arquivo KMZ para ser aberto no Google Earth com a rota utilizada.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Moonwalk e Michael

O Pensar enlouquece publicou, mas a ideia está no Youtube, uma sensacional coletânea de moonwalk, o inesquecível passo do Michael Jackson.

Japoneses e funerais

Em tempos de funerais, acabo de assistir o belíssimo "A partida". O filme trata de um violoncelista que sem emprego por conta da dissolução da orquestra, volta para a terra de seus pais no interior e acaba arrumando um trabalho de "preparação" de cadáveres para o funeral, ou como diz o texto do anúncio que ele encontra no jornal, "Auxílio para a partida".
O que conta é passar pelas tradições dos japoneses e ver de perto o quanto a cultura nipônica pressiona seus filhos a esconder as emoções. Por outro lado, muito mais que o orgulho, prevalece a honra, especialmente em momentos em que alguém compreende que errou e se vê obrigado a admitir o erro. Muito diferente de nós tupiniquins que preferimos sempre fugir da culpa tentando arrumar justificativa para tudo.
A viagem pelas tradições japonesas no que diz respeito a morte, é particularmente bela.
O filme ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro 2009, é imperdível.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Aquecimento global

Minha santa amiga Inahia me mandou essa propaganda, acho que vale a pena assistir.

video

Mais aventuras juvenis

Atendendo a pedidos de meu amigo Rodrigo, vou contar uma historinha sobre a vida de caminhoneiro nos EUA.
.......................................
Aprender a manobrar o caminhão não foi difícil, afinal meu primo e meu tio faziam justamente este trabalho e quando eu saia com eles, muitas vezes treinava manobras. Foi meu primo Alexandre que me ensinou as técnicas para mudas as marchas no câmbio não-sincronizado, que exigia que as mudanças fossem feitas "no tempo", caso contrário a marcha simplesmente não entrava e ainda arranhava horrivelmente. Ele também me ensinou a dar ré com a carreta conectada, vocês não imaginam como é complicado, afinal é preciso virar o volante pro lado contrário daquele que você quer ir.
Arrumei um trabalho para transportar conteiners nas estações de trem e comecei a me divertir.
O trabalho era assim: eu ia até uma estação de trem, pegava um conteiner vazio e rumava até uma empresa para carrega-lo com alguma mercadoria. Naquele dia o conteiner foi enchido de rodas de alumínio para automóveis.
Depois de cheio, levava o conteiner para outra estação de trem, ele passava por uma inspeção visual e deixava-o lá. Missão cumprida, na época um serviço destes dentro da área de Los Angeles pagava cerca de 70 dólares. Era meio solitário, mas durante o dia muitas vezes encontrava amigos nas estações de trem. A vantagem era que ninguém falava português e eu podia treinar meu ingrêis o tempo todo; e é lógico, matracava o mais que podia.
Ao sair (delicadamente) do "dock", que é o lugar onde encostava o caminhão para carregar, enganchei a porta traseira na porta de aço da garagem... o resultado começou a se revelar num barulho distante e só fui constatar a extensão dos danos quando desci e fui lá olhar o que tinha acontecido.
Eu literalmente arranquei os trilhos da porta de aço da parede, e a porta do conteiner ficou pendurada por apenas uma dobradiça... as outras duas se romperam com a porrada.
Foi um desespero, afinal aquilo poderia significar um problema muito grande naquele raio de país estranho.
Pedi ajuda ao encarregado que se limitou a tirar fotografias com uma polaroid.
Com uma corda que eu tinha, consegui prender a porta meio pendurada e rumei para o estacionamento do caminhão, já que eu sabia que o mecânico poderia me ajudar com algum milagre.
A jogada agora era consertar a porta. Fechamo-la e soldamos as dobradiças quebradas disfançando-as com graxa. A técnica foi levar o conteiner minutos antes da "troca da guarda", assim o cara que fosse inspecionar o conteiner já ia estar cansadão e não ia notar que o bicho tinha sido quase-totalmente-semi-destruido.

E deu certo?

Sim, deu tudo certo, o cara estava bocejando quando eu cheguei, olhou de longe colocou um visto e eu nunca mais vi o conteiner.

E a porta da empresa?

Ah, isso é outra história...

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Aventuras juvenis



Em 1990, juntei as tralhas e fui para os EUA fazer a "viagem de minha vida". A foto acima dá uma ideia do que aconteceu. Sou, aliás, fui o motorista deste caminhão durante um ano inteiro. Convido você a visitar no meu álbum de fotos, uma série de imagens com detalhes sobre esta grande aventura, é só clicar aqui.

É só ponto de vista


Uma tira do Laerte para lembrar que tudo pode ser só questão de ponto de vista.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Aprendendo com os argentinos

Estou lendo "Argentinos, mitos, manias e milongas". Uma divertida forma de entender melhor o que se passa na complicada cabeça dos argentinos, mas de quebra eu diria que temos muito a aprender com eles. A grande diferença entre nós, vacas tupiniquins e o boi portenho é o inconformismo diante de uma sacanagem. Explico: o brasileiro simplesmente se cala, se esquece, releva, perdoa tudo. O argentino revida, faz piquete, passeata, panelaço.
"...depois da desvalorização do peso... a fúria popular gerou uma espécie de vale-tudo. Um dos dois filhos do ex-presidente De la Rúa, Aíto, falava ao vivo com os jornalistas quando uma senhora loura, de seus sessenta anos, cachorrinha pequinesa nos braços, interrompeu a entrevista. Sem dizer palavra, deu um tapa no rosto do rapa: - Isso é para você saber como o povo está sofrendo - disse em voz alta e depois seguiu caminhando com seu cãozinho já com a cara mais aliviada"
A técnica dos argentinos chega a contar com visitas aos vizinhos de políticos para pedir que ninguém lhe dirigisse sequer um bom-dia e por aí vai.
Mas para muitos, ler um livro já é complicado... mudar de atitude então... ninguém espera, mas ao menos um pouquinho de inconformismo com nossa concordância bovina diante de mazelas como a de José Sarney já é muito bem vindo.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Tia Cecília

Esta é minha tia e madrinha Cecília, esposa do meu falecido tio Tonico e irmã de meu pai. Gosto demais desta tia, uma mulher muito centrada, muito tranquila e que cozinha muito bem. Ela gosta muito costurar também, isso sem falar no quanto ela gosta de futebol, mais que muitos homens inclusive eu. É raro encontrar uma senhora que saiba na ponta da língua a escalação do Palmeiras inteirinha. O interessante é que o tio Tonico nunca foi muito chegado em futebol.
Na foto ela tem um bebê no colo, é a sua oitava neta Julia, filha do Léo e da Carol.
A tia Cê também toca acordeon, mas prefere chama-lo de "harmônica". Bem, a tia Cê é uma mulher bastante viajada, junto com o tio Tonico já foi para muitos paises pelo mundo. Na minha opinião eles formavam um casal perfeito que sabia aproveitar a vida muito bem e é claro, mesmo sem o tio, ela continua sabendo viver como poucos.
Obrigado querida madrinha por você ser a pessoa que é.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Nasceu Aruã Libert Paes


Ganhei mais um sobrinho, nasceu ontem dia 14 de junho de 2009 as 11:22, sob o sol de Gêmeos e o acendente de Virgem, o filho da minha prima Natália, Aruã. Como vocês podem ver pela foto, o bebê é uma gracinha.

Parabéns aos pais Natália e Marcio!! Parabéns aos avós e a toda família.

domingo, 14 de junho de 2009

Domingão em Sampa


Já que o Alê está viajando e ia ser super deprê ficar em casa, peguei minha bikecleta e fui pedalar por São Paulo. Aproveitei e levei a câmera pra fazer umas fotos e testar a lente angular, veja no que deu:

Descendo a rua da Mooca encontrei este portão de ferro bárbaro.

Um pouquinho mais pra frente fotografei este morador de rua na ligação leste-oeste.

No minhocão encontrei este grupinho assimétrico de homens de preto. Acho que eles eram seguranças ou coisa assim, só resta saber o que faziam passeando de grupinho no minhocão.














Vejam só que peculiar esta drag preparando-se para a parada gay 2009.

Bom, tirei mais um monte. Veja neste link mais fotos, coloquei todas no álbum "instantâneos paulistas".

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Elogio da Madrasta

Acabo de ler mais esta obra do Mario Vargas Llosa. Um livro curto, com páginas impressas em papel grosso e letras grandes, isto faz com que a leitura termine em prazo recorde... a sensação é parecida com a de comer o queijo parmesão que eu comprei em Parma, a cada pedaço, dá vontade de chorar já que isto significa que o queijo está diminuindo de tamanho e logo ele chegará ao fim.

O livro então, lembra o queijo já que é uma envolvente trama erótica que narra o relacionamento entre Lucrécia (a madrasta no caso), seu marido Don Rigoberto e seu filho Fonchito. Tudo vai muito bem obrigado e o medo de que a relação não dê certo por conta de eventuais atritos com o enteado se dissipam quando Lucrécia vê que Fonchito a adora.
O problema é que gradualmente ela vai percebendo que o menino a adora demais da conta e momentos de tensão erótica tornam a estória deliciosa de se ler.
Os capítulos são entremeados por fábulas mitológicas diretamente relacionadas ao assunto principal, o que torna a leitura ainda mais imprescindível.
O impressionante talento literário do autor flui como líquido. Não perca!

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Educação no trânsito

Uma ambulância tentava desesperada avançar em meio ao maior congestionamento da história Paulistana e eu ficava imaginando o quanto faltam campanhas educacionais neste país.
Nem foi muito difícil simplesmente embicar o carro num canto para deixar a coitada passar, ou seja, simplesmente abrir caminho, mas o povo não faz a mesma coisa... a maioria simplesmente ignora a sirene gritando "SAI DA FRENTE! SOU UMA AMBULÂNCIA CARREGANDO ALGUÉM DOENTE OU FERIDO OU QUASE MORRENDO!".
Claro que já faz um bom tempo, mas quando morei em Los Angeles lembro claramente da atitude dos motoristas ao som da sirene. A galera simplesmente estacionava quase em 45º no canto da rua formando um espaço pra ambulância. Qual é a diferença? Dizia-se que se um guarda visse você "obstruindo" a passagem da ambulância, ia ter de vender o carro para pagar a multa, eu concordo que a multa assusta e produz efeitos, mas também havia mais educação.

Em viagem recente pela Europa, vi guardas "dando aulas" de educação no trânsito para grupos de escolares. O guarda reunia um grupo de crianças ao redor dele e mostrava: "vejam bambinos, este cidadão parou o carro numa posição proibida, o que vocês acham que ele fez de errado?" E a criançada participava dando opiniões.
Já imaginou o Capitão Nascimento conversando com criançinhas e perguntando o que elas acham que aquele traficante fez de errado?

Ironias a parte, os meios de comunicação tem um importante papel educacional que na minha humilde opinião precisa ser enfatizado. Acho que desde uma simplificação da linguagem pela qual as notícias são veiculadas até constantes lembretes ao cidadão sobre uma simples ponta de cigarro que aqui é atirada no chão como se não fosse lixo, são coisas que podem fazer uma diferença gradual, mas positiva em nossa querida Sambalândia.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Festas e asilos


Outro dia escutei a seguinte história: "Poxa, tenho um conhecido que é muito rico, mas o cara se queixa de que não encontra ninguém para acompanha-lo nas viagens que ele gostaria de fazer, já que nenhum dos amigos dele tem o cacife necessário; então ele segue triste sem viajar e com os bolsos cheios de grana".

No final de semana fui com minha família a uma festa junina de aniversário. O interessante é que os convidados levaram fraldas geriátricas que foram posteriormente entregues em um asilo pela própria aniversariante junto com doces e salgados separados da festa.

Os velhinhos, lógico, fizeram uma festa ainda maior como se vê na foto ao lado.
Tudo é uma questão de escolha, não é mesmo?

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Game do voo 447


As vezes ficamos tentados da dar um beliscão em uma criança mal-criada, mas quando vemos os "avanços" que a imprensa é capaz de nos proporcionar, me dá vontade de liberar a molecada pra arrebentar a sala de visita da vovó sem crise nem dó.
A última é o "videogame" que a Globo colocou no ar mostrando as diferentes maneiras pelas quais o Airbus A330 da AirFrance poderia ter sossobrado. Você clica na opção e assiste uma animada animação com direito a explosões, granizo, queda livre e por aí vai... só falta mesmo marcar pontos.

O que o padre dos balões não fez


E está no topo das paradas nos EUA o novo filme da Pixar: UP. Pela foto, dá pra ver que se inspiraram em alguém daqui das terras tupiniquins. Claro, com melhor orçamento...
De qualquer forma, o desejo de sair voando, velho companheiro dos homens, continua servindo de tema para muitas histórias, afinal tem muita, mas muita gente amarrada aqui no chão que passa a vida sonhando com desapegos semelhantes.
Fui ver o filme e postei um artigo no blog.

The Governator


Super divertido! É o que achei do novo Terminator. A estória que fica meio confusa quando alguém do futuro vai para o passado e interfere na sequência original de eventos passa batida diante das incríveis cenas de ação do filme. O diretor McG mandou bem nos efeitos especiais sem torna-los enjoativos.
O ponto máximo é a aparição do robô T800 na pele do atual governador da Califórnia, mas com o corpinho de 1984, vá assistir!

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Por uma vida menos banal


Meu eterno amigo Arthur Lewis é um cara admirável, ele tem a capacidade de manter-se presente 24h por dia. Pode contar que ele não move um dedo no automático.
Gurdjieff diz que um homem deve ter um amigo confidente no raio de 100km, fico imaginando que chato se um dia um de nós se mudar...
Veja sua resposta a minha pressão para sua participação em uma trip:

Intão...

Caro cabra careca
agora prestatenção
pois vou contar nestes verso
o causo de enrrolação

Bahia e terra de cross
onde é bom os avuáá
eu muito queria ir
Nessa trip de preá

Porém estou enrrolado
e agora não posso sabê
Se consigo um espaço
Pra vuáá com vosmiçê

Mas tenha certa amigo
Que força hei de fazê
Pra mi juntá a você
Nestes voo de perigo
nas terra de Zabelê.

Beijo forte na careca
Um abraço pro Alê
Pois agora to na roça
pra modi podê cumê


Abraço!
Tuzinho.

O túmulo dos vagalumes


Ah, esqueci de contar que nas horas pequenas que antecediam o momento de fugir para o aeroporto, encontrei espaço para assistir a animação japonesa "O túmulo dos vagalumes". Foi uma sugestão do amigo Rui Wolf. O título na língua oriental é Hotaru no Haka. É uma história de sobrevivência dos dois irmãos do cartaz ao lado no ingrato cenário da segunda guerra mundial.
O filme é tão belo que conseguiu me manter imerso apesar da iminência da viagem.
Que gosta de animações e de lindos gestos de amor, não pode perder este.
O próximo será "A princesa Mononoke"

Faça-me feliz


Não basta olhar para as receitas e ficar babando, queridos... é preciso fazer os pratos...
Estava procurando alguma receita que usasse tinta de sépia, encontre e gostei deste blog português porque é muito bem organizado, simpático (repare a dona do Blog com e sem "maquilhagem") e com receitas bastante interessantes, isso sem falar na referência ao Saramago de quem sou fã.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Aprenda um idioma


Para valorizar suas horas de ócio diante do computador, uma boa dica é estudar um idioma.
Há sites como o LiveMocha onde você pode estudar uma enorme quantidade de línguas, de espanhol, inglês até mesmo mandarim. É gratuito e você só tem que fazer inscrição e fazer as lições que são escritas e faladas. A cada lição que você faz, recebe vários comentários de professores do idioma e também de outros estudantes e de quebra você também ajuda aqueles que estão estudando seu idioma nativo. Nas lições faladas, você lê, e grava textos, é muito bom para praticar a pronúncia.
Divirta-se!