sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Lotação em alta


Nas minhas idas e vindas para o trabalho, alterno bicicleta, corrida e lotação. Esta última é uma oportunidade para ler um pouco, mas naquele dia estava impossível. A lotação era conduzida em alta velocidade e entre curvas vertiginosas, acelerações e freadas violentas, os passageiros se acotovelavam entre resmungos, ais e uis. Contei ao menos três semáforos vermelhos entre muitas buzinadas dos outros motoristas que indignados, manifestavam seu protesto contra o condutor que ignorava tudo e acelerava mais fundo. Uma moça se desequilibrava, uma senhora rezava, um senhor resmungava, um rapaz ria e minha volta para casa parecia uma interminável corrida enquanto eu tentava imaginar de onde o motorista tirava tanto desrespeito e imprudência.
A violenta freada ao chegamos no largo do terminal Bresser colocou-me diante de uma situação inédita: No centro do largo havia um multidão rodeando uma espécie de cadafalso. Sobre ele, um homem corpulento com um capuz negro envolvia o pescoço de um senhor com uma corda que pendia de cima. Imediatamente o motorista gritou: "PAPAI!!" enquanto corria na direção do cadafalso; o velho virava a cabeça e gritava "MEU FILHO!"... e então finalmente compreendi e pensei... bem, correr desse jeito para tirar o pai da forca, tá valendo...

Nenhum comentário: