sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Simpáticos e simpatias


Logo depois que me mudei para o novo apartamento, tivemos alguns pequenos acidentes domésticos em sequência que nos deixou um pouco assustados... Prateleiras que cairam, aparelhos que queimaram, baratas, formigas e até discussões infundadas.
Uma pessoa querida sugeriu fazermos uma simpatia, compramos alguns incensos e saímos algumas vezes passeando pela casa soltando fumacinha e pedindo para que os "maus espíritos" se retirassem para outras paragens.
Deu certo! A fase difícil passou e a paz voltou ao lar.
Não se trata aqui de confessar em público, meu crédito nos poderes sobrenaturais do além-túmulo, mas sim dividir com vocês minha conclusão: Nossa casa é um ambiente sagrado. É nela que passamos grande parte de nossas vidas e é a ela que dedicamos grande parte de nossas energias. A moradia é o abrigo, é o recolhimento, é a intimidade e como tal, ao dedicarmos-lha um instante de nossos dias, inclusive através de um banal gesto de passear pelos corredores com um pedacinho de incenso, invariável e inconscientemente passamos a "contaminar" o ambiente com um pouquinho de amor que se reflete de forma prática, num aumento no nível de atenção geral para tudo o que se passa. As coisas quebram menos, as formigas e baratas recebem veneno, as prateleiras desistem de cair...
É obra do divino? Qualquer instante de dedicação a algo que não seja apenas nosso umbigo é obra do divino.

Um comentário:

Anonymous disse...

"Where is home? Home is where you cell phone charger is."