sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A dura realidade alemã - A fita branca

A fita branca é de uma beleza difícil de explicar. Há uma cena onde um menino pergunta para a irmã mais velha, o significado de "morrer". O diálogo, as cores (refiro-me a luz e sombras, já que o filme é P&B), os movimentos, os silêncios, tudo me levou para um dos mais belos momentos do cinema que já vi.

Diante de filmes como esse, quase sinto dor quando alguém me reclama do fato de um filme ser filmado em preto e branco. Como reproduzir as emoções represadas das pessoas de uma aldeia alemã em 1913 em cores? Não há nada mais preciso que descrever vidas em preto e branco que suprimindo suas cores na tela do cinema.

Há grandes esperas, com momentos de silêncio onde pequenos rituais acontecem à distância, como que buscando uma privacidade até da câmera. Há violência num simples olhar, num comentário, na dor escondida e cultuada pela pressão social. Tudo maravilhosamente retratado.

Há o barão e a baronesa, o pastor, o professor (que narra o filme em off depois de velho), as crianças, a babá frustrada, os amores contidos, o desprezo pela pessoa humana, e também há um criminoso na vila, quem será? Todos parecem se sentir culpados de alguma forma.

A Fita Branca ganhou nada mais nada menos que a Palma de Ouro no Festival de Cannes, é P&B e daí?

Imperdível, e vou ser super legal com você dando o link para o filme com legendas em português já sincronizadas aqui.

2 comentários:

Rodrigo disse...

Grande Sivuqueta!

Obrigado pelas dicas. Seus filmes são ótimos. Já está na fila... :-)

Grande abraço!
Rodrigo

Silvio Carlos Ambrosini - Sivuca disse...

Olha só.. e não é que o filme é bão mesmo? Acaba de ganhar o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro.